Perfume de Jacarandá

Quem és tu. Quem és tu que assim vens pela noite adiante, Pisando o luar branco dos caminhos, Sob o rumor das folhas inspiradas? Sophia de Mello Breyner Andreson

terça-feira, maio 31, 2011

Em tons de amarelo

Observo-a tranquilamente; os pormenores, as gotículas de água que a refrescam, uma simples flor amarela, com delicioso aroma que se espalha e permanece, até quando o vento o tenta levar!
Mesmo que o sol não brilhe... ajuda a mantê-lo interiormente!

(Clicar)

"As plantas não crescem ou evoluem sentindo o cheiro da água, mas, vivendo a água".
(Fabian Mendes)


terça-feira, maio 24, 2011

Uma Casa e um animal de estimação

Cada vez mais ‘humanizada’ e dona do seu nariz, não abandona a luta por um lugar de destaque neste blogue, tomou posse do teclado e vai desafiando …
Aprecio o seu carácter reivindicativo, e pena é que os grandes realizadores ainda não tenham reparado nela!


Gata escondida com olho de fora…


"Um gato sempre chega quando você o chama. A não ser que ele tenha algo de mais importante para fazer." (Bill Adler)

terça-feira, maio 17, 2011

Cliques mágicos


Ouvem-se os pássaros ao longe!
Oiço a cantoria e percebo por entre ‘abertas’ que falam de liberdade, de alegria, do prazer de dar as boas vindas aos raios de Sol de fim de tarde. Os vários tons de verde mesclado das árvores, completam o quadro.
Fica-se imóvel com medo de quebrar a magia do lugar e do momento.




"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes se deixam ver tal como são." (Peter Urmenyi)



quarta-feira, maio 11, 2011

Voa joaninha...



O sol brilhou para me revelar estes tesouros escondido: uma joaninha em paraíso verde, gotículas de água, como se fossem jóias minúsculas.
Estes simpáticos e bonitos insectos fazem parte das minhas memórias: na infância, num jardim do tempo dos vestidos bonitos e de laços coloridos nas tranças. Quando encontrava uma joaninha, segurava-a nos dedos e dizia: «Joaninha voa voa, vai ter com o teu pai que está em Lisboa...»
Bem vinda joaninha em breve assistirás à dança das borboletas.


quinta-feira, maio 05, 2011

Chama-se violeta

É branca, frágil, talvez por isso a sua beleza aumenta!
A cada primavera, fico olhando para o canteiro onde florescem em tons de violeta ou branco. Sinto-me tremendamente bem ao registar a sua beleza em fotografia...como gostaria de registar também a sua fragrância...


Não basta amar as violetas
O que fazer para preservar a beleza destas pequenas jóias?


O perdão é a fragrância que a violeta derrama sobre o calcanhar que a esmagou.
(Mark Twain)
 
Free Flower Cursors at www.totallyfreecursors.com