Perfume de Jacarandá

Quem és tu. Quem és tu que assim vens pela noite adiante, Pisando o luar branco dos caminhos, Sob o rumor das folhas inspiradas? Sophia de Mello Breyner Andreson

quinta-feira, novembro 29, 2012

Os meus amarelos...





De repente  precisei de procurar uma cor primária. O que era tão brilhante e abundante está agora desaparecendo rápidamente. Os dias são cada vez mais pequenos, frios e com pouco sol.
As árvores vão ficando nuas ou com  solitárias folhas  amareladas  tentando  segurar-se enfrentando ventanias. Apenas algumas aves  saltitando-correndo, na tentativa de encontrar algum alimento.
Novembro traz à minha rua o aroma duradouro das lareiras acesas: fortes fumaças  saindo das chaminés em nuvens apressadas. 
Na minha varanda, a beleza tranquila de uma única flor que se recusa a aceitar que o  verão  terminou há muito…




segunda-feira, novembro 19, 2012

A beleza de uma abóbora





Naquele tempo, em que os nossos sonhos eram tingidos com fantasia, era tão bom acreditar que as abóboras falavam de fadas...
Hoje foi assim: peguei na máquina, ajustei a objectiva e registei o momento e o encontro; na minha horta… memórias de infância  surgiram então:  Seria assim a  abóbora da Cinderela?!
E como  nem todos os nossos dias são preenchidos com  cor,  neste dia em que o céu estava de um azul-profundo, sol brilhando, pensei  que este poderia ser - e foi -o  melhor encontro do meu dia.

segunda-feira, novembro 12, 2012

O céu da minha rua…





É aquilo a que costumo chamar  ‘momento mágico’.
Tão fácil  encontrar-lhe beleza,  quando assim brilha mesmo que por breves minutos.  Quase um sonho! num final de dia em que procurava a cor, o sol surgiu através das nuvens cinza escuro, dando a sensação de querer explodir em colisão no horizonte, para  logo se despedir  sereno com a promessa de voltar.

domingo, novembro 04, 2012

teias de chuva…




  A janela da minha cozinha abre-se para imensos-tesouros-natureza enriquecidos pela chuva que cai… 
Nestes dias de outono, cinzentos e por vezes molhados,  quando privilegiamos a luz do sol, volto para dentro e sorrio.
Gosto destas descobertas:  quer sejam elas em manhãs ensolaradas ou  nestas tardes cinzentas de chuva.

Esta aranha deve ter trabalhado como louca!
 
Free Flower Cursors at www.totallyfreecursors.com