Perfume de Jacarandá

Quem és tu. Quem és tu que assim vens pela noite adiante, Pisando o luar branco dos caminhos, Sob o rumor das folhas inspiradas? Sophia de Mello Breyner Andreson

quinta-feira, março 24, 2016

Novas...





A vida é feita de encruzilhadas, nunca sabemos o que nos espera: constantemente novas surpresas e novos desafios. Mas quando na encruzilhada escura surge um grande dia de sol sinal de que a primavera realmente está chegando… confio, sim, que vai ser fácil afastar os “dias cinzentos”.
Os meus dedos parecem ter andado enferrujados, afastam-se do teclado, e fico na dúvida se digito as palavras certas! A onda de criatividade que por vezes vem, depressa  se tem derramado no vazio. O pensar alterna entre o desânimo, ansiedade e lufadas de esperança.


Gosto de Março-ao- pé-da primavera e que deixou o outro (pé)  no inverno; gosto de sentir que caminhamos ao ritmo e som dos pássaros e ventos amenos. 



sábado, janeiro 16, 2016

Foi há seis anos


Foi há seis anos que tudo começou: num espaço vazio e sem cor plantei um jacarandá, pequenino, ainda com pouca côr, cuidei dele, reguei-o com carinho, vi-o florescer num manto belíssimo lilás; colhi a primeira flor, a segunda, e desde então muitas mais tenho colhido e oferecido. Anda agora um pouco mais ‘fraco’, mas a primavera virá e espero que ele volte mais florido e perfumado.
Muitas amizades aqui nasceram, silenciosas amizades que se exprimiram por palavras... a atenção concedida foram pequeninas sementes que  se espalharam e ficaram aqui guardadas; cuidarei  delas para que possam continuar a germinar…flores lilás.


 Está precisando de afagos, este jacarandá! e o “Linus” agora já com 4 aninhos, controlando e dormitando enquanto a dona escreve, promete incentivar a que muitos mais aniversários aqui sejam festejados.







quarta-feira, dezembro 16, 2015





Cada Natal que passa é um revelar recordações, momentos, de tantos afectos, de presenças que o tempo tornou ausentes; não faltam neles eternas histórias de amor, família, amigos.
Hoje este nevoeiro torna a ‘minha-paisagem ‘num verdadeiro cartão de Natal: representa bem o meu estado de espírito neste ano! Mas, o brilho do candeeiro, é bem uma mensagem de luz!
Foram tons de cinza  que encontrei na minha caminhada deste fim de tarde, com o céu pesado-de-humidade, ar espesso e névoa. Sente-se no rosto a humidade das nuvens baixas, sente-se  o cheiro duradouro das lareiras acesas na minha rua, é Dezembro é mês de Natal!
A todos os amigos que por aqui passam desejo Boas Festas. Agradeço mais um ano de companhia, e todas as mensagens carinhosas e amigas por aqui deixadas. 

Cito Manoel de Barros: "Há demonstrações de carinho que nos imensam!"




domingo, novembro 22, 2015

Outonar


Parece que Cézanne andou por aqui, pintando ao seu estilo; por mim, registei o efeito de grande força e energia da luz solar. Está na natureza o melhor exemplo da completa harmonia cores-formas-contraste-peso visual e harmonia.
Um quadro perfeito!
Daí ser a melhor época do ano para caminhadas, escapar ao tráfego das estradas e palmilhar caminhos-verdes, muito bom.
Por trilhos bem delineados, folhas das árvores viram-cobre e lembram-nos que se foram os dias quentes, é tempo de outono.








quinta-feira, outubro 29, 2015

"sonho –uma constante"



Em menina costumava sonhar acordada: muitas vezes, transpunha os meus sonhos para o papel  em forma de desenhos e pinturas; o meu imaginário substituía bem o que eu ansiava-desejava.  Desenhava e pintava, fugia da realidade, era como um voo no espaço e no tempo, onde tudo era possível .
Agora que os meus cabelos oscilam entre o branco e dourado a minha imaginação continua activa mas os meus sonhos já têm limites;  sento-me  ao lado da menina do passado e com ela partilho mãos cheias com um pouco de tudo, sonos leves e pesados, sonhos e pinturas da tela  já ‘vivida.’

Sonho: uma constante da vida  e a menina que mora em mim não vai deixar que eles se escapem!







sexta-feira, outubro 09, 2015

Mudar de estação





De cores fortes, pétalas cheias de linhas leves e elegantes, pintam a paisagem, onde os grilos e ralos já não cantam, porque o verão já se foi.
Ano após ano florescem sem sementeira! Como que refletem a energia do sol, são altivas mas encantadoras.
Neste  silêncio multicolor das forças da natureza encontro o equilíbrio emocional, de que necessito, tão simples! O amarelo tem agora duplo encanto.
Assim, vai o outono namorando suavemente os meus sentidos.


sexta-feira, setembro 11, 2015

Mais altos que baixos



Hoje numa das minhas caminhadas à beira-mar, enquanto apreciava a beleza que me rodeava, percebi mais uma vez que muitos dos nossos problemas não chegam para acabar com a maravilha que todos os dias acontece… esta serenidade do pôr do sol é um ponto de passagem temporal que descodifica a poeira que ensombra o nosso olhar.
Depois de um tempo de altos e baixos, de ‘paragem aparente’, estou de volta a este espaço onde os jacarandás florescem todo o ano.
É Setembro, em caminho outonal mas continuam os tons de verde e azul, as manhãs ainda começam luminosas.

E de uma coisa tenho a certeza, as marés vão continuar a ‘ir e a vir’, e o vôo das gaivotas continuará sempre cheio de graça e beleza…






domingo, junho 07, 2015

Detalhes


O azul do céu e do mar-azul logo ali sem nuvens.
Se no olhar está impressa a identidade de cada um de nós, é fácil detetar a minha, atraída pelos pequenos boquets escolhidos a dedo, num dia de sol deslumbrante, temperado com  a frescura do mar caparicano.
Então: lembro-me de que a arte é também o que vemos, é um sentimento, um pensamento, uma emoção, um pouco de cor.
E em cada dia nos aparece uma chance, para criar algo diferente e novo.



"Magia é acreditar em si mesmo; Se você puder fazer isso, você pode fazer qualquer coisa acontecer." ~ Johann Wolfgang von Goethe





quarta-feira, maio 20, 2015

o " meu refúgio"



É este o "meu refúgio"de de-vez-em-quando, num ambiente calmo, rural e tranquilo, em absoluta harmonia com a natureza, longe e fora do bulício  citadino. 
Esta oliveira centenária do pátio, derrama centenas de pequenas flores, e o “espanta-espíritos” de conchas-da-praia, suspenso num dos seus ramos produz através da ação do vento um som relaxante e agradável, que se junta á cantilena da passarada que aqui habita: uma orquestra natural.
Agora são muitos os sons , tons e aromas de primavera.
Quando a noite cai, o céu estrelado é mais deslumbrante, e ouvem-se apenas grilos, ‘rálos’, cigarras.  Há o cheiro de terra fresca.
Pela manhã, o saco do pão centeio ainda quente, aparece pendurado na porta branca…






terça-feira, abril 28, 2015

O lilás



Minha avó tinha vários lilases no quintal e apesar de ainda muito pequena apreciava-os: hoje fazem parte das minhas memórias de infância; era também, lembro, a flor preferida de minha mãe.
Há dias num dia-cinza-frio, que parecia de inverno, apesar do calendário dizer que é primavera deparei-me com esta lilás- flor e isso me fez feliz. O céu nublado não diminuiu  a beleza da paleta que a natureza oferece, senti que o sol brilhou e me aqueceu interiormente.
Prazeres simples que satisfazem, momentos felizes que nos fazem voar no tempo. O lilás da minha infância…estava ali!
‘coisas’ que nos acompanham ao longo da vida, carregando grande cumplicidade-afectividade e sentimentos incondicionais. 






quinta-feira, abril 09, 2015

Da nascente…





Alturas há  em que ‘o peso sobre os ombros’ é muito e sentimos uma necessidade de mudança de ares, de espaço, porventura  um encontro com a natureza e tudo que a faz vibrar, em ritmo cadenciado e são, habitado de cores suaves.
Num breve intervalo de tempo repomos as energias, e encontramos o doce sentimento de estar bem. Aqui na nascente do rio Nabão sente-se.
A água correndo em  melodia suave é calmante e reconfortante e é como se mergulhássemos no fundo do rio/ encontrássemos um tesouro esquecido.





sexta-feira, março 20, 2015

enigmas


Falou das possibilidades, hipóteses vagas, sugestões…da esperança cada vez mais vaga, da imensa desilusão que cresce a cada dia, do cinzento futuro, do lamento de ter nascido‘num mundo assim’.
A realidade tem-lhe roubado sonhos e diminuído a esperança;  
Ele é somente um, entre milhões(!) de jovens desiludidos, num país-mundo sem futuro para eles e sem saber aonde este caminho o(s) está levando…se se vai por ir ao acaso.
Fim de tarde. O sol retempera o corpo.

Ele aqueceu o meu coração de mãe. 







sexta-feira, março 06, 2015

Sonhando com Neverland…





Foi há dias: aproximei-me, ‘mirei-as’ mas levantaram voo, fugiram, asas brancas com pontas pretas ou cinzentas.
Não sei porquê , mas lembrei-me de Peter Pan: nunca quis crescer, e de como podia voar para bem longe, para ‘Neverland. Lembrei-me  que dizia que tudo o que  temos que fazer é acreditar, acreditar…
Reparei como elas voavam todas para o mesmo lado e  perguntei-me o que estariam procurando, seria também Neverland?
Em tempos visitei Kirriemuir, Escócia, onde nasceu o dramaturgo JMBarrie, o criador da personagem Peter Pan ( sempre me fascinou, talvez porque aos 5anos o vi no primeiro filme no’ cinema’) visitei a casa, o jardim, onde tirei a foto em baixo.
Neste momento porque  preciso de acreditar em ‘ magia’, e ainda quero que sonhos se tornem realidade; abrir asas e voar com eles...






 
Free Flower Cursors at www.totallyfreecursors.com