Perfume de Jacarandá

Quem és tu. Quem és tu que assim vens pela noite adiante, Pisando o luar branco dos caminhos, Sob o rumor das folhas inspiradas? Sophia de Mello Breyner Andreson

quinta-feira, junho 11, 2009

Papoila

Nasceu uma papoila no meu jardim,
talvez de uma semente vinda com a ventania;
espalhada a rubra cor sobre o verde,
ficou o cenário mais colorido.

Parece uma bailarina dançando com o vento.
Quando a vi sorri: ela é única no jardim

16 Comentários:

  • Às 11 de junho de 2009 às 18:02 , Blogger Menina do Rio disse...

    Imagino sua beleza dançando ao vento...

    Fica com um beijinho e vou vindo quando der

    Bom feriado, Lilás

     
  • Às 11 de junho de 2009 às 19:08 , Blogger Isa disse...

    Olá Lilás!
    Obrigada por partilhar o brinde!
    Beijo.
    isa.

     
  • Às 11 de junho de 2009 às 20:00 , Blogger A Casa da Buganvília disse...

    E quanto colorido, apesar de única, ela deu ao jardim.

    Pequenas coisas, grandes satisfações.

    Beijinhos

     
  • Às 11 de junho de 2009 às 20:02 , Anonymous Milu disse...

    Em criança fazia bonecas com papoilas, puxando as pétalas para baixo e atado-as ao meio, já não me lembro com quê. Ficavam umas bonecas de vestido vermelho! Naqueles tempos tudo servia para a brincar e a natureza não se cansava de nos oferecer por onde, assim houvesse imaginação...

     
  • Às 11 de junho de 2009 às 20:40 , Blogger Andradarte disse...

    Admiro a artista que com
    uma simples papoila, consegue
    um slid show com tanta
    beleza.
    Parabéns.
    Beijo

     
  • Às 11 de junho de 2009 às 22:28 , Blogger Avelaneira Florida disse...

    E com a papoila há festa no jardim!!!!

    Bom feriado!!!!!

    Bjkas!

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 01:28 , Anonymous Anónimo disse...

    É caso para desconfiar…
    Conta pétalas e estames,
    Testa com cores Liláses,
    Não te deixes mais enganar…

    Pois podes estar a ver mal…
    E a Papoila que aí está,
    Nada mais ser afinal,
    Que um novo Jacarandá !!!!

    Pedro

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 03:39 , Blogger Vicktor disse...

    Querida Lilás

    Papoilas são pinceladas
    Da paixão de um artista
    Por muitos são desejadas
    Mesmo quando aceifadas
    No trigal dum retratista

    Em suas doiradas imagens
    De trigo e de girassóis
    Ele desenha as mensagens
    Nessas vibrantes linguagens
    Que com palavras constróis.


    Não há retratista no Mundo que saiba dar como tu doçura às palavras. Não há poeta na Terra que escreva tão belas imagens como as que connosco partilhas.

    Beijinho.

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 08:19 , Blogger mfc disse...

    Tão simples e tão lindas...

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 11:08 , Blogger MagyMay disse...

    Papoilas...Vermelho saltitante...Verde reponsante

    Beijo e um bom fim de semana...Linda, Lilás

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 15:40 , Blogger Cadinho RoCo disse...

    A natureza está sempre presenteando nossos dias com surpreendentes atitudes.
    Cadinho RoCo

     
  • Às 12 de junho de 2009 às 16:21 , Blogger des-encantos disse...

    ...como sabes , não tenho tempo - ou tenho pouco....!!- mas passei por aqui a ver a tal papoula, PAPOULA...dizia-se na m terra

     
  • Às 14 de junho de 2009 às 05:50 , Anonymous candida disse...

    É sempre agradável o contraste do vermelho da papoila no verde do teu jardim. Depois de uns dias de ausencia não resisti em deixar-te beijinhos...
    Cãndida

     
  • Às 14 de junho de 2009 às 11:10 , Blogger Rita do reino disse...

    Essa papoila ainda é mais bonita porque nasceu no teu quintal. Para o ano haverá mais! Faz pensar que às vezes a felicidade está mesmo aqui pertinho de nós e a gente é que não repara...

    Bj
    Rita

     
  • Às 14 de junho de 2009 às 19:12 , Blogger Isa disse...

    Voltei.Hoje preciso de uma certa magia...
    Entrei aqui e...encontrei.
    Beijo.
    isa.

     
  • Às 16 de junho de 2009 às 17:04 , Blogger Sara disse...

    Bonita Papoila. Bonita pérola que a natureza que o teu jardim vos ofertou.

    Faz-me lembrar um poema que em tempos li e que faz uma homenagem a esta flor simples mas magnifica e que começa assim...

    "não
    não desdenho a rosa
    vermelha paixão acesa
    só quero olhar a papoila
    beleza vibrante e frágil
    espalhando a rubra cor
    na linha verde do campo.

    não
    não desdenho a rosa
    mas paixão é a papoila
    que arde bela em tempo escasso
    dá-se viva à mão que a colhe
    partilha o cetim das pétalas
    e na mão amada morre
    breve...

    Beijos

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 
Free Flower Cursors at www.totallyfreecursors.com